sexta-feira, 10 de julho de 2009

LOMOGRAFIA

" Enquanto as empresas de equipamentos fotográficos batalham para ver quem lança câmeras com mais recursos, existe um grupo - cada vez mais crescente - que promove uma volta ao passado, fotografando com filme em câmeras que muitas vezes parecem de brinquedo: são os amantes da lomografia.

O nome da prática vem da empresa soviética de equipamentos eletrônicos LOMO. No início dos anos 90, dois amigos austríacos estavam em Praga de férias e, sem câmeras fotográficas, resolveram comprar duas máquinas baratas. O modelo escolhido foi a LC-A, da LOMO, que se tornou o símbolo da lomografia.

De volta a Viena, os dois amigos, impressionados com o resultado das fotos - cores vivas, com ar de "antiguidade" e as famosas "vinhetas" (bordas escurecidas nos quatro cantos da foto) passaram a comprar e vender as câmeras lomo para os amigos. Estava fundada a Lomographic Society International.

Rapidamente a mania se espalhou por diversos lugares do mundo, inclusive o Brasil. As câmeras passaram a ser vendidas para os países ocidentais pela LSI. Câmeras antigas foram "ressuscitadas" por fotógrafos amadores e a Internet se tornou o principal meio de troca de informações sobre câmeras, técnicas de fotografia e revelação e claro, para expor as fotos.

O grande diferencial das câmeras lomográficas é a baixa tecnologia. Corpo e lentes de plástico, poucos - ou nenhum - ajustes manuais e às vezes alguns "defeitos", como vãos que permitem a entrada de luz, são alguns dos "charmes".

Entre as câmeras favoritas dos lómógrafos estão modelos tanto da LOMO quanto de outras empresas. Entre as vendidas pela LSI, a LC-A é objeto de desejo de 9 entre 10 amantes da lomografia. A alta procura fez também com que seu preço fosse supervalorizado. Na loja da LSI, o pacote básico custa US$ 250. Já no eBay - maior site de leilão dos EUA, uma LC-A varia entre US$ 100 a US$ 200. No Brasil, a LC-A é artigo raro, disputado em site de leilão e fóruns. Seus valores normalmente ultrapassam a casa dos R$ 500 (preço equivalente a uma câmera compacta digital de alta definição).

Entre outros modelos oferecidos pela LSI estão a Fisheye (com lente olho de peixe, que dá um formato arredondado à imagem), a Smena, a ColorSplash (com flashs coloridos), as SuperSampler e Action Sampler (com 4 lentes, que criam uma interessante montagem de imagens na mesma foto) e as de médio formato Holga e Diana F, que usam filme de 120mm.

Outros modelos como as séries XA, Trip e Pen, da Olympus, câmeras da também soviética Zenit, compactas da Minolta, Yashica e Cosina, entre outras também estão entre as favoritas dos lomógrafos.

A LSI tem uma série de "mandamentos" que não se levam muito a sério:

1. Leve a sua Lomo onde você for;

2. Fotografe durante todo o tempo, em qualquer hora, seja dia ou noite;

3. A lomografia não interfere na sua vida, ela é parte dela;

4. Aproxime-se o máximo que puder de seu objeto de desejo lomográfico;

5. Não pense;

6. Seja rápido;

7. Você não precisa saber antes o que fotografou...;

8. ... nem depois;

9. Fotografe sem olhar no visor e por final,

10. Não se preocupe com as regras.

A intenção é experimentar, buscar novos ângulos para fotografar e aguardar o resultado das revelações. "

Texto daqui

E hoje comprei duas Lomos. Estou tão feliz com elas.

Lomo Action Sampler

A foto fica assim, 4 fotos diferentes em 1.

Lomo action sampler sequencial - são 4 fotos iguais em 1 só.

Veja mais fotos de Lomos AQUI.

3 comentários:

Aline Aimée disse...

Que tudo isso!
Onde vende?

Beijo!

Christian Camilo disse...

que interessante
nao podia imaginar que isso esta em evidencia!

Mari disse...

eu tenho essa primeira! adoro, mas ainda tô apanhando um pouco pra pegar o jeito, principalmente por causa da luz - bobeou a foto fica escura, ou lavadona demais.
beijos, have fun!