quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Devaneios da madrugada

Pronto. Cheguei num ponto onde não sei mais o que pensar sobre a vida. 
Cada dia que passa fico mais pensativa, mais quieta, explodindo por dentro, cheia de pensamentos e coisas. 
Estou apaixonada pelo que eu não sei e é difícil lidar com isso pois o ser eu do passado já teria dado um jeito em resolver essa questão, mas o ser eu de hoje está quieto. 
Talvez isso passe, talvez não, mas também, nem quero mais saber, desisti.
Tô meio cansada de pensar demais sobre o assunto amor. 
Cada vez mais a vontade de levantar da cama é doída. Queria que meus sonos fossem longos e minhas costas não doessem tanto quanto doem. 
Dormir e amar deveriam ser mais prazerosos. 
Posso desistir de amar, não mando no coração. Mas não posso desistir de dormir. 

Divagando na madrugada.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

A idiotização da internet

Nesse último final de semana que passou foi carnaval.
Todos saíram as ruas, todos pularam, dançaram, beberam, lotaram as vias que se tornaram intransitáveis e consumiram minha timeline com um bombardeio de fotos iguais cheias de confetes, serpentinas e purpurina.
Agora acabou, passou, finalmente acabou o carnaval e a vida (pelo menos aqui no Brasil) começa de verdade.
Eu não fiz nada disso, pelo contrário, fui na contra-mão de todo mundo.
Mas isso fica pra outro post, sobre o meu carnaval sem ziriguidum, pois hoje eu quero falar de outra coisa.

Num desses dias, subimos até a Pedra Grande, eu e o André, juntos e quietos.
A subida é longa e inclinada, te faz pensar e eu pensei, pensei muito. Minha cabeça parecia um turbilhão de idéias, todas esquisitas.
Tive mais idéias pra um projeto pessoal que já estou colocando no papel há algum tempo em segredo e que tem muito a ver com um texto que, sem querer, li hoje no MEDIUM.COM sobre como o facebook está matando os blogs e os textos da vida.

Depois que o facebook cresceu pavorosamente, as pessoas não tem mais paciência para lerem nada mais que duas linhas, então, com o crescimento dessa nova "linguagem" os blogs foram morrendo aos poucos, ninguém mais lê.
Falei disso outro dia aqui, num post sobre "os blogs maternos da minha vida" que as pessoas têm preguiça e medo de ler textão, com o facebook mostrando mais do mesmo, tudo resumido e rápido, ninguém mais procura, discute e comenta mais nada nos blogs ou sites. O mundo blogosférico está virando um cemitério, cheio de textos antigos, parados há anos, sem atualizações, mortos.
Percebo que os blogs que sobreviveram, estão se moldando a essa nova rapidez da vida, pouco texto, muita imagem, quase sempre, sem conteúdo nenhum.
É triste ver a internet que eu conheci lá atrás, rica, cheia de jornalismo bom, textos bons, de idéias, de boas discussões, o surgimento de novos escritores, blogs que viraram livros, um mundo internético rico, decaiu, acabou. Está tudo minimizado e jogado lá dentro do facebook.

E você se pergunta: Mas e aí Karina, você é uma dessas pessoas que consomem o facebook.
Sim, eu uso muito, acho que até mais do que eu deveria, eu me disperso e perco muito tempo olhando aquelas coisas lá dentro que na maioria das vezes,  não me levam e me acrescentam nada, porém, nunca perdi o hábito de "ler internet" de escrever TEXTÃO no blog, de tentar ser uma das únicas pessoas que ainda não deixou o samba blog morrer.
Ainda leio todos os dias as notícias dos jornais (que eu odeio) ainda leio os blogs que me interessam que se atualizam frequentemente, agora existe o MEDIUM.COM, um espaço incrível de pessoas que escrevem textão bom.
Ainda tento manter a velha rotina de textos no blog, acho que ando escrevendo mais do que antes, talvez por sentir falta disso por aí, alguém ainda deve ler e creio que como eu, alguém também deve sentir falta.
Estou produzindo um fanzine, que sairá logo, no estilo antigo de ser, corta e cola, com bastante textão, imagens e arte.
Ainda tento manter as velhas raízes de qualidade.
Nem sei pra quem vai servir, pois ninguém mais lê, mas..... rs o fanzine vai sair.

Ainda existe saída além do que o facebook trás pra gente.
A internet está se tornando idiota, as pessoas estão idiotizadas sim, mas nós nunca vamos desistir, a internet boa não vai morrer tão cedo.

Me sinto na obrigação de copiar e colar o texto do HASSEIN DERAKHSHAN traduzido pro português por GABRIEL GASTALDO.

"No último mês de Novembro, saí de uma prisão Iraniana após seis anos. A notícia que mais me chocou após isso? Não foi a conquista do Presidente Barack Obama em reconhecer o direito do Irã a tecnologia nuclear pacífica, nem a morte do líder do partido NDP, tampouco o abrupto desaparecimento da embaixada Canadense em Teerã. Foi a morte da Web como eu a conheci.
Em meados de 2000, imigrei para o Canadá, e de um pequeno apartamento alugado em Toronto, democratizei a escrita em minha terra-natal introduzindo, facilitando e promovendo os blogs.
Após o trágico ataque terrorista de 11 de Setembro de 2001, me peguei lendo diários online para entender o significado daquilo para americanos. Eu era um jornalista tecnológico no Irã e os blogs me ajudaram a me reconectar com os leitores de minha coluna diária em um jornal reformista Iraniano. Comecei meu próprio blog e ajudei muitos leitores do Irã a começarem o mesmo.
Um ano após esses acontecimentos, blogar ficou tão na moda no Irã, quanto hoje em dia são os hipsters e suas barbas; Me nomearam blogfather (um pai dos blogs). Até mesmo a mídia estatal nutriu isso.
Voltando para Tehran em Dezembro de 2008, fui escoltado em um carro. Isso foi um mês após minha prisão, resumidamente, por minhas atividades na Internet. No rádio do carro, eu ouvi sobre um concurso de blogs chamado “The Scent of Apple” para comemorar o Imã Hussein, o neto do Profeta Mohammed e a figura central do Islã Shia. Eu sorri, orgulho por aquele momento de blogfather.
Seis anos depois, em Novembro de 2014, fui perdoado pelo Aiatolá Khamenei e liberto da prisão de Evin. Desde então, vim a perceber que aquilo a que dediquei muitos anos de minha juventude se foi: Muitos Blogueiros se moveram para redes sociais, transformando a blogosfera Iraniana em um cemitério.
O pior é que Mark Zuckerberg provou não ser um fã de links, ou hyperlinks. Com o Facebook, ele não encoraja que você crie links. No Instagram, ele simplesmente os proibiu. Ele está espremendo o hyperlink, portanto, matando a rede de textos externos interconectada e descentralizada conhecida por World Wide Web.
O Facebook gosta que você permaneça nele. Os vídeos já são embutidos no Facebook, em breve, artigos externos também serão embutidos também, com o projeto de “Instant Articles” (Artigos Instantâneos). A visão do Sr. Zuckerberg é a de um espaço insular que consuma toda sua atenção — para que ele a venda para os anunciantes.
Agora, com aproximadamente 1.5 bilhões de usuários ativos mensalmente e um crescimento particular em lugares menos desenvolvidos, o Facebook é a Internet para muitos — 58% dos Indianos e 55% dos Brasileiros acreditam que o Facebook É a Internet, de acordo com uma pesquisa publicada pelo Quartz.
Para mim, um Rip Van Winkle de 2015, esse espaço linear, centralizado, passivo e de pro entretenimento, não é a Internet/Web que eu conheci. É algo muito mais próximo à Televisão.
As consequências disso são graves.
Mais e mais leitores de mídias digitais estão migrando para o Facebook e cada vez menos pessoas visitam as páginas da Internet diretamente. Dessa forma a mídia digital e autores independentes perderam a renda proveniente de propagandas, e ainda assim, são coagidas a pagar para “Impulsionar” seus artigos no Facebook para que possam alcançar a sua real audiência.
A mídia digital foi forçada a gerar histórias tolas e “virais” para sobreviver, causando um golpe severo no jornalismo sério.
E talvez mais importante, como resultado dessa competição de popularidade, visões minoritárias cada vez engajam menos pessoas. Isso é particularmente alarmante em um mundo enfrentando a séria ameaça de grupos religiosos e nacionalistas radicais. O algoritmo secreto do Facebook tende a nos abastecer com mais do que já gostamos, reforçando nossos pontos de vista enquanto reduz nossa exposição a ideias desafiadoras e divergentes.
A recente reestruturação corporativa do Google, para se focar em seus serviços de Internet é uma boa notícia para qualquer um que espere que a Internet seja qualquer coisa diferente da televisão. O Google construiu um império intelectual, mesmo que comercial, baseado no poder do hipertexto. Mesmo com sua busca pelo monopólio e desrespeito pela privacidade, ele ainda respeita os hyperlinks, uma lei básica da Internet. E ele tem a capacidade de por fim a essa perigosa tirania do “popular”.
Ainda não ouvi de Tim Berners-Lee, que inventou o World Wide Web (A Internet) para saber quão desapontado ele deve estar. Mas visitei o site do concurso “Scent of Apple” e descobri que agora eles apenas aceitam publicações do Instagram ou do Facebook — não mais blogs. É muita tristeza para este blogfather em Tehran.
Por mais que eu esteja feliz com o fim da guerra econômica injusta contra o Irã, após seus acordos nucleares com os poderes mundiais, me parte o coração a negação da Internet/Web, um dos produtos mais promissores da inteligência humana de para nossos tempos conturbados."




* * *

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

A minha lojinha



Esse blog sempre teve uma lojinha, mas ela não estava ativa fazia muito tempo.
Decidi por as peças que não servem mais pra Maria à venda. 
São peças INCRÍVEIS. 
Pois afinal, elas crescem e perdem rápido algumas peças exclusivas na vida. 
Estão todas lá! Qualquer dúvida, email-me ou me chama no facebook

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

A saudade que dá quando a vida volta ao normal

O que eu mais fiz desde que o ano virou foi aproveitar o conforto do meu lar junto da Maria e da minha irmã Glória. Foram poucos os dias em que fiquei longe de casa e delas, principalmente depois que as festas acabaram, a family voltou ao trabalho e eu fui delegada a cuidar das meninas. 
E o cuidar significa: arrumar a casa, cozinhar, dar almoço, lanche, jantar, lavar, passar roupas e ficar o dia todo no pé pra não causarem comigo, elas causam MUITO!
Nos primeiros dias foi foda, não tinha o hábito da rotina de uma casa há tempos, não sei cozinhar muito bem então demorava horas e horas pra fazer um almoço e fazer elas me respeitarem no começo foi difícil. 
Há tempos não passava tanto tempo com a Maria, não a via acordar, não olhava praquela carinha sonada dela toda manhã e ouvia todas as suas chatices fulltime
Há tempos não dormíamos por vários dias seguidos juntas e fazíamos coisas juntas.
Fizemos sessão cinema algumas vezes, ficamos acordadas até tarde por várias.
Fomos quase todos os dias á piscina. 
Pude ver na rotininha que criamos como ela cresceu e está crescendo a cada dia. 
Eu aprendi a cozinhar direito, aprendi a tentar variar o cardápio e ela gostou tanto das minhas comidas, fiquei feliz.
Ensinei ela a ser um pouco mais independente, a ter mais confiança e a fazer as coisas sozinha, fez várias amigas só dela no meu condomínio e o dia todo era um entra e sai de criança que ó.
Maria me ensinou muitas coisas nesses dias também, que tenho que ter mais paciência e entender que ela não consegue fazer tudo que eu peço, ela tem 7 anos e tem suas limitações de 7 anos.
Nós dançamos todos os dias na sala à tarde, elas me ajudavam a arrumar as coisas, a casa ficou agitada de vibe criança, os brinquedos ficavam espalhados mesmo e a gente nem ligava pois estávamos de férias juntas, por vários dias seguidos e foi tão delicioso que quando as aulas começaram essa semana, todas se foram e a vida voltou ao normal. 
Meus dias estão tão quietos... minhas tardes ficaram chatas. Tão silencioso, tão sozinho. 
Agora almoço sozinha, fico a tarde toda sozinha, vou a piscina sozinha, eu fico em silêncio o dia todo... sozinha... 
Não faz nem dois dias, meu coração tá apertado de saudade dela.
Espero que as próximas férias cheguem logo pois quero toda zona kids de novo pra mim.

Ás vezes é tão difícil essa escolha que eu fiz... 




















* * *



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

O jeans da discórdia

Numa das últimas visitas que fiz à minha vó, fucei no brechó dela pra ver se achava alguma coisa legal. Sim, minha vó tem um brechó de garagem lá no Jabaquara em SP
Nada demais, porém, sempre que eu vou lá encontro peças incríveis
E eu amo uma roupa surrada, furada, velha e com história!
Daí que peguei uns jeans gigantes pra fazer minhas costuras e achei no meio do turbilhão de coisas que tem na garagem do brechó, essa calça 80´s.
A calça da discórdia
Minha mãe usava essas calças lá nos anos 80, 90 ela que fala e eu bem me lembro e a calça da discórdia voltou com tudo agora em 2016. 
Ela é larguinha e confortável, ela é cintura alta e afuniladinha nas pernas. Perfeita! 

Tem gente que odeia, tem gente que ama e por isso a tal da discórdia! 


a foto ta uma bosta pois era a noite e eu tava saindo


Gostou? Odiou?

* * *

domingo, 31 de janeiro de 2016

Sobre os olhares alheios quando você fala que trabalha com moda

Eu hoje antes de começar a escrever esse texto abaixo. Glamour zero!

Estava eu outro dia numa roda de amigos, amigos de outro amigo meu que eu não conhecia e, enfim, eu estava ali, conversando e tal... Daí que me chega aquele crítico momento da vida que eu ODEIO (por isso eu falo que eu morro de preguiça de conhecer gente nova, ou mesmo, quando eu estava solteira, de conhecer alguém novo e me chegar essa pergunta) O QUE VOCÊ FAZ?
Ai gente, eu quero morrer quando me fazem essa pergunta. JURO!
Eu até hoje não sei o que eu faço. Respiro? Vivo? Tô aqui? Bebo com amigos? Danço? Ouço música? Escrevo baboseiras no sunglassesss? Num sei o que eu faço...
- Tá, mas o que você faz como profissão?
(Sério? pois bem, vamos lá....)
- Ah, várias coisas... mas trabalho com moda e tenho um blog.
Aí você vê a cara da pessoa de decepção.
A cara se fecha, a pessoa dá aquele suspiro de tipo, ah... legal. Mas lá dentro do cérebro ela pensa assim de você " tadinha" ou  "que bosta"
Eu percebo muito isso pois já vi e vivi essas caras muitas e muitas vezes. 

O mundo da moda foi muito estereotipado depois que "fazer moda" virou moda, e daí vieram algumas meninas ricas vide BLOGUEIRAS que tomaram conta da internet, ficaram famosas mostrando suas vidas maravilhosas e suas roupas caríssimas, suas viagens exóticas pelo mundo, suas milhões de compras desnecessárias gerando pra nós, pequenos trabalhadores de moda, um esteriótipo de que se trabalhar com moda é viver na futilidade, ser apenas um ser fútil, consumista e burro.

Uma coisa eu tenho que concordar nessa vida. Só se ganha muito dinheiro com moda quem já nasceu rico. De resto é uma camelação só. Zero glamour.

Óbvio que existem MUITOS desses esteriótipos por aí, mas a gente, nós aqui, que convivemos com o povo que trabalha com moda e tal, sabemos distinguir a blogueira fútil e nem queremos saber nada delas  e a blogueira que apenas tem um blog, de moda também, com várias outras vertentes, outros assuntos e sabemos que é legal. 
MASSSS os amigos do meu amigo não sabiam disso pois não convivem com esse mundo (eu disse convivem e não conhecem, sem julgamentos) e rolou a tal da cara. Mas tudo bem né? Nós, camelos, já estamos acostumados e super entendemos a tal cara. 

E daí, sei lá porque hoje, encafufei com essa questão e aqui vos escrevo.

Há um certo pré-conceito em torno de algumas profissões que ó, vô te falar viu! Enche o saco! 
Com o povo do teatro, com os escritores, com os bailarinos, com os ativistas e por aí vai. (pois sempre vem a pergunta depois que fica intimo né? E VOCÊ GANHA DINHEIRO COMO?)

Uma coisa que eu tenho pra falar por mim, Karina, é que escolher essas profissões não é nada fácil, pois você ganha dinheiro sim, ralando que nem um FDP. Fazendo um milhão de coisas ao mesmo tempo, freela aqui, freela ali, um job aqui, outro ali e por aí vai. Mas por exemplo, quem escolhe trabalhar com, vamos dizer, artes, já sabe que está predestinado a isso e só escolhe pois é puro amor mesmo. 
No meu caso por exemplo, nunca escolhi nada, nunca fiz faculdade de nada e fui sendo direcionada pela vida a esse caminho da moda e tento fazer dele do melhor jeito possível. 
Tenho um blog? Tenho! 
Escrevo e falo sobre moda? Sim!
Faço selfie no espelho e dou uma agachadinha? Faço!
Adoro roupas e consumo? Adoro, mas adoro e consumo de uma forma muito mais consciente.
Será que está surgindo o novo bicho-grilo-da-moda? ixi. 

Há tantos sites e blogs de moda que são tão legais, pessoas que vivem de seus blogs, são blogueiras mesmo fazendo coisas muito legais, há tantas pessoas das modas fazendo trabalhos de moda tão bacanas, tão inteligentes. 
Há o Modices, um site de moda consciente que fala sobre a real das modas e sobre vida sem e esteriotipação da vida.
Há o Um ano sem Zara da Joana que é tão real quanto nós seres humanos reais, que amamos moda e não somos milionários.
Há o Modefica que escreve e mostra a moda consciente desde as matérias primas até estilo de vida, eu amo esse site!
QUE mulher nessa vida que não gosta de dicas boas de roupas?
Há o Men Repeller da Leandra Medine, que desconstrói todo site fútil de moda por aí de uma forma muito bonita e inteligente. 
Há o Yvan Rodic, mais conhecido como Face Hunter, que é um fotógrafo de moda de rua, que viaja pelo mundo e mostra as diferentes vertentes da moda real de rua e culturas pelo mundo. Eu pago um pau federal pra ele, e já fui clicada uma vez por ele láaaa nos primórdios. 
Há um tal de Sunglassesss aí de uma tal de Karina que parece ser legalzinho também..... rs

Há tantas gentes fodas e incríveis nas modas, há tantas coisas legais e bonitas que nós, povo das modas fazemos. E esse texto é pra vocês, que fazem "aquela cara" quando a profissão do amigo não é o padrão clichê de sabedoria e riqueza. que nem vale a pena citar aqui, vide advogados, médicos, arquitetos, etc.RS 

Moda não é só glamour, moda não é sinônimo de burrice, moda não é só futilidade e egocentrismo.
Moda é legal, só saber olhar com os olhos e o coração aberto pra distinguir o que é bom de moda pra você. O que encaixa no lifestyle que você vive. 

Até hoje eu não sei essa resposta direito. O QUE VOCÊ FAZ?
Tanta coisa...... rs
Não tem um nome pra tudo que eu faço, eu trabalho com moda mas não tô trabalhando no momento e tenho um blog. De resto, eu to aqui, escrevendo esse texto num domingo calorento, bebendo uma cerveja, preparando um post pra essa semana explicando o que é um guarda-roupas cápsula e vivendo o domingo do meu jeitinho pois amanhã é segunda e eu preciso arranjar um emprego que me dê um dinheiro, pois trabalhar de graça eu já tô trabalhando pra maior galera.

Pensado bem, mas bem pensado mesmo, talvez eu tenha um medo de conhecer gente nova por puro escudo de medo de receber esses olhares e ser julgada por não saber explicar em uma palavra só a minha profissão.

Bom domingão gentem!!!!

* * * 

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Filmes para se enterrar em casa - pra quem não gosta de alalaô de rua

Tá. Final de semana antes do Carnaval.
Bloquinho começando a sair nas ruas e daí que ninguém vai tá nem aí pro meu post porque hoje eu quero dar dicas de filmes pra ver no final de semana, já que você (se é que tem gente que vai ler) assim como eu, detesta carnaval.
Não é que eu deteste, muito errada essa palavra né? Detesto não, mas não sou muito dessa vibe aí de ir em tudo quanto é bloquinho vidaloka e ficar o dia todo pulando, suando, borrando todo o make brilhante com uma cerveja na mão (a parte da cerveja eu curto)
Já que me chamam de garota enxaqueca só porque eu não gosto de ir pra Vila Madalena no carnaval pular um alalaô, aqui vai minha lista de filmes que assisti recentemente e quero muito compartilhar pra você, garota/o enxaqueca como eu, que curte um cinema a pulação aeternus

(não colocarei sinopse, nem spoilers, apenas considerações minhas sobre cada um)

Lá vai! Divirtam-se!


O QUE VI NO NETFLIX

Uma estranha amizade
Direção: Sean Baker, 2012

Assisti esse filme pela capa, sem ler sinopse nem nada. Sem nada para fazer, escolhi um filme aleatório qualquer e dei um play no netflix. É daqueles filmes que nos surpreendem, uma perolinha escondida dentro do Netflix. Uma história bonita, um roteiro bom e duas revelações. O primeiro filme como protagonista de Dree Hemingway, sim, leu exatamente Hemingway, ela é bisnéta do escritor Ernest Hemingway. E o primeiro de Besedka Johnson, 80 anos, que realizou seu sonho de ser atriz no seu primeiro e último filme. Infelizmente ela faleceu após as filmagens. Único spoiler, o figurino da Dree é foda!!!! Quero TODAS as camisetas dela!



A vida marinha de Steve Zissou
Direção: Wes Anderson, 2005

Só de ser um filme dirigido por Wes Anderson e sua estética e cores maravilhosas já da vontade de perder 2 horas e meia pra ver esse filme. No elenco também maravilhoso, Bill Murray, Owen Wilson (meucoraçãobate) Cate Blanchett, Angelica Huston, Jeff Goldblum e Willem Dafoe.
O que há no filme? Há situações forçadas muito forçadas, há tiroteio tosco de festim, há psicodelismo de cardumes multicoloridos feitos em stop motion, há caricaturas muito caricaturas, há muita sunga listrada e muito gorro vermelho. E também há trilha sonora com versões em português de David Bowie tocadas no violão por nada mais nada menos que SEU JORGE.




Sete psicopatas e um Shih Tzu
Direção: Martin McDonagh, 2013

O que dizer de um filme onde Tom Waits faz o papel de um psicopata? 
No elenco maravilhoso, Colin Farrell, San Rockwell, Christopher Walken, Woody Harrilson e Tom Waits. Não tem muita graça contar nada do filme, senão perde toda a surpresa. O roteiro é foda! Tipo, como alguém pensou nisso????? Prepare-se pra morrer de rir!



QUE VI NO PIRATÃO

Um homem entre gigantes
Direção: Peter Landesman. 2016

Não sei nem se eu posso ser presa por estar resenhando um filme que ainda nem foi lançado aqui no Brasil. Enfim, vamos torcer para que não né? 
Will Smith e sua incrível capacidade de fazer filme de chorar. O que é esse filme? Uma história real, adoro filmes de histórias reais. 
Vou por um link aqui. pro site, está com o nome de outro filme mas dá o play que é esse. AQUI



O quarto de jack 
Direção: Lenny Abrahamson

Olha, depois desse filme, minha visão da maternidade mudou muito. Delicado, o mundo aos olhos de Jack. Difícil viu, duro, nunca chorei tanto na vida. "O universo dos sonhos é o caminho para enfrentarmos os absurdos que somos expostos em nosso cotidiano" Está concorrendo a 4 categorias ao Oscar 2016. Melhor filme, melhor atriz, melhor diretor e melhor roteiro adaptado. Olha, já vi alguns concorrendo a melhor filme, esse, pra mim, é o mais poderoso. 
Pra assistir clica AQUI



A garota Dinamarquesa
Direção: Tom Hooper

Também concorrendo ao Oscar 2016 em três categorias, melhor ator, melhor atriz coadjuvante e melhor figurino. Um filme que fala basicamente sobre o amor incondicional por alguém independente da sua escolha. Dolorido, lindo! O figurino é maravilhoso mesmo..... 
Pra assistir clica AQUI



Pois bem, espero que aproveitem muito o final de semana pré carnaval enfurnado em casa assistindo a todos esses filmes.
Já viu algum? Comenta aqui!


* * *






Sexta do branco

Pode ser crendice ou algo espiritual, mas já ouvi diversas pessoas me falarem que toda sexta feira elas usam branco. I DONT KNOW WHY, but. Elas usam, então, como hoje é sexta, algumas inspirações delicadas do uso do branco sem parecer mãe de santo.
















pics via pinterest

MUSAS: Leandra Medine

Há tempos que eu não pago um pau mesmo pra alguém nessa vida.

Já conhecia Leandra Medine dos blogs da vida, uma foto aqui, outra ali. Sempre adorei os looks, mas nunca parei pra ler nada sobre ela e sobre o que ela faz. 

Por trás do site MEN REPELLER, ela é o cérebro de um dos blogs de moda mais legais que já vi nos últimos tempos. 
Leandra quebrou os parâmetros da moda e consumo quando começou a aparecer mais na internet. Looks malucos, mistura de texturas e amplitude, peças vintage misturadas com peças mais sofisticadas, minimalismo, básico, exagero, calça jeans com vestido e saia, assim mesmo, tudo junto. 
Ela é tudo! Ela é ela. 
E lá no Men Repeller ela fala muito sobre isso.

Quebrou paradigmas de moods. 
Não há certo ou errado pra ela, foi aí que meus olhos brilharam, penso assim, me visto assim (apesar de nas últimas semanas estar só de roupa de casa e pijamas) vivo assim, uso o que gosto, o que eu quero e onde eu quero, sem ligar para o que as pessoas dizem, sem ligar para marcas, sem me limitar somente as tendências do momento, óbvio, todos que amam moda, como eu, está sempre atualizada nas tendências, mas não faço disso meu lifestyle. Apenas componho ao meu estilo roupas que eu gosto. 
Leandra é assim, ela mesma fala muito sobre isso no blog. Sobre ser você mesma sempre!
E ela deve ser mesmo, no seu instagram, aparece fazendo coisas engraçadas com seu marido, muitas vezes, fazendo careta, pulando, sem carão e feliz! 

LEANDRA! QUERO SER SUA AMIGA!

















Apaixonei mais ainda, Leandra é ela, feliz, sem retoques, sem maquiagem, linda do jeito que é, pra se inspirar e se apaixonar.

da série: minhas musas.

* * *