sábado, 8 de agosto de 2015

A volta de volta.

Últimamente tenho tido muita vontade de voltar a escrever e compartilhar coisas aqui no blog de novo, aqui sempre foi o meu mundinho, há anos. E sempre há pessoas que dizem: "mas é se expor demais"ou "você não precisa compartilhar tudo da sua vida na internet". Eu SEMPRE compartilhei tudo da minha vida, as coisas boas e as ruins de uma forma legal, talvez só pra mim, talvez pra outras pessoas, as vezes há alguém vivenciando uma situação parecida, como muitas vezes já aconteceu, e isso conforta muitas vezes, sei lá, só sei que nesses últimos dois anos eu me deixei de lado, ouvi muitas críticas o que acabou me afastando de mim e daqui um pouco.

Enfim, só sei que estou enclausurada em casa faz duas semanas, uma por opção e a outra fiquei doente e foi ótimo pois conseguir me ver de novo, dar uma clareza para me re-organizar novamente na vida, nos meus círculos sociais e ver onde realmente eu quero estar.

Me decepcionei um pouco com as pessoas, percebi que afastei todos os meus amigos leais, de bem, por ter estado dentro de um relacionamento onde eu mergulhei de cabeça e vivi uma vida paralela. (na real não houve espaço pra trazer eles comigo e a culpa é minha, eu sei) Com o tempo, fui deixando todo mundo de lado, até que percebi que eu não tinha mais ninguém. Estava praticamente sozinha e isso foi o maior baque pra mim, a dor de perder os amigos é muito mais doída do que de perder um namorado ou um relacionamento. Os amigos não eram meus e eles também se foram com o final do relacionamento. (normal né)
Aí o que? fiquei sozinha. hehe mas foi bom pra eu aprender e que isso sirva de lição para todo mundo, nunca SE deixe por ninguém. Nunca deixe TUA vida por alguém. Sempre seja você e se tiver que mudar que mude de relacionamento! Caguei!

Tenho tentado resgatar um pouco de mim aqui e que, por fim, nesse momento, estou sentindo a necessidade de voltar pra cá. Pro meu mundo, pro meu universo. Sem medo, sem vergonha, sem pensar "no que estão pensando" ou "no que as pessoas vão dizer" como eu sempre fiz. Muito clara e objetivamente.

Tenho estado bem quieta, escrevendo, lendo, vendo filmes e quero compartilhar. Nem que seja somente pra mim, pois escrever me dá um alívio na alma tremendo.
Fiz uma compra boa de livros, alguns já li, outros estou lendo e estou pensando em fazer uma coluninha semanal aqui sobre eles, outra sobre os filmes.

Nesse tempo meu comigo mesma, cuidei de mim como não cuidava há tempos. Cuidei da pele, do cabelo, estou cheia de dicas legais das coisas que andei fazendo.

Fui viajar sozinha, fui viajar com a família, passei muitos dias com a Maria, passeei, passeei, passeei e vivi!

E eu sei que a dúvida fica na cabeça, "mas e aí, a Karina não trabalha?" Não.
Eu como já disse por aqui (acho) larguei meu emprego no ano passado e desde então voltei a freelar com produção nas publis, fiz coisas boas o que me deixou confortável até o presente momento, porém o mercado está bem parado, todo mundo que trabalha com publicidade está sentindo e eu estou a  procurar um trabalho fixo (ai adoro eles, adoro rotina, horários etc. me chamem de louca, mas eu amo) no ramo editorial, quero trabalhar com o que eu gosto. Livros. Leitura, Revista, por aí, to indo. Vendo algumas opções....  (se alguém souber algo, meu email é karinakohatsu@gmail.com)

Estou me sentindo leve, como não me sentia há tempos, me sentindo em paz. Sentindo que aquela sensação de nuvem negra está passando, retomando a vida aos poucos e voltando a fazer as MINHAS coisas sem julgamento de ninguém e já já tudo estará em ordem de novo.

E vamo que vamo meu povo!!!!!

Uma playlistzinha que eu fiz recentemente pra uma amiga. Dá o Play!








. . . 

terça-feira, 28 de julho de 2015

Um conto pra quando ele voltar.


Ela nunca se sentiu tão impotente em relação a uma situação da vida, impossibilitada de ter o controle nas mãos, apavorada, com medo e insegura. Medo do não saber o que vai acontecer, medo do enfrentamento dos seus próprios sentimentos, do enfrentamento de si própria.

Um desespero sem fim tomou conta, um vazio, uma dor agoniante na garganta e aquela sensação da faca cortante por dentro do peito.
O medo do não saber. Do não querer aceitar, da rejeição e muitas perguntas na cabeça.

E assim os dias foram passando e as dores se diluindo e a visão clareando cada vez mais.
As lembranças ainda apareciam como fotografias ao fechar os olhos.

A pior dor são as boas lembranças.

A evolução era imperceptível mas ela estava ali, avançando gradativamente, mesmo que pouquinho mas estava, está e continua.

E aí ele se foi e a espera pela volta continuava rasgando, a ansiedade que corria por dentro das veias continuava a pulsar e o coração continuava a querer sair pela boca até que um dia ela saiu de dentro de si e se olhou, se viu linda, inteligente, interessante, mulher, feliz e decidiu dar adeus a todos aqueles sentimentos que a corroíam e que agora estava só fortalecendo para uma nova fase e uma nova relação consigo mesma.

Então ela não esperou mais....

E quando ele voltar ela ainda vai estar aqui. A vida ainda vai estar aqui e as coisas não terão mudado tanto assim.

Quando ele voltar, ela não vai sentir falta, mas ele pode até ser que sinta a falta dela.

Quando ele voltar o tempo já terá passado bastante e todas aquelas dores que pulsavam não vão pulsam mais.

E quando ele voltar vai sentir aquele vazio de ter deixado ela ir e ela espera que quando ele voltar ele possa seguir o seu caminho também.

Ainda restam muitas coisas dela nele, mas o tempo passa....

XXX


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Filmes para o final de semana.

O final de semana está aí e pela previsão do tempo, parece que vai chover boa parte dele.
Então resolvi compartilhar alguns filmes bem gostosos de se ver que eu assisti recentemente.
Daqueles que terminam e você ainda continua com um sorriso no rosto e pede pra ter continuação.
Coloquei o link embaixo de cada filme para um site online, todos legendados e com ótima qualidade.

Aí estão eles, enjoy.


Sinopse:
Desde que Megan terminou o seu noivado, ela passa a maior parte do seu tempo em casa, entendiada. Um dia, seus amigos a convencem a sair um pouco, e encontrar alguém na Internet para uma noite de sexo sem compromisso. Assim ela encontra Alec, com quem passa uma noite desastrosa. No entanto, na hora de ir embora, uma grande nevasca bloqueia a porta, forçando os dois a permanecerem juntos, e a se conhecerem melhor.
Uma delicia de filme, com o mesmo ator do WHIPLASH, Miles Teller. 


Sinopse:
Maggie (Melissa McCarthy) acaba de se divorciar. Ela e o filho de 12 anos -fragilizado pela separação dos pais – se mudam. Um vizinho, St. Vincent De Van Nuys (Bill Murray), se aproxima deles e se oferece para cuidar do menino. Depois de hesitar, Maggie aceita, pois é enfermeira e faz plantões de madrugada. Uma grande amizade nasce entre o menino e o veterano de guerra, Vincent. Apesar de ele não ser a pessoa mais indicada para cuidar de uma criança, essa amizade faz muito bem ao menino.
Eu simplesmente adorei esse filme. Leve, engraçado.


Sinopse:
Uma cantora (Keira Knightley) se muda para Nova Iorque, mas logo após chegar no local, seu namorado americano decide terminar o relacionamento. Em plena crise, ela começa a cantar em bares, até ser descoberta por um produtor de discos (Mark Ruffalo), certo de que ela pode se tornar uma estrela.
AMEI!


Sinopse:
Após a morte de sua mãe, um divórcio e uma fase de autodestruição repleta de heroína, Cheryl Strayed (Reese Witherspoon) decide mudar e investir em uma nova vida junto à natureza selvagem. Para tanto, ela se aventura em uma trilha de 1100 milhas pela costa do oceano Pacífico.
Eu sempre adorei a Reese Witherspoon, ela esta espetacular nesse filme. 


Sinopse:
Paige (Gillian Jacobs) e Sasha (Leighton Meester) são duas amigas inseparáveis. A sengunda é lésbica e recebe o apoio da primeira, que promete se casar apenas quando a amiga tiver os mesmos direitos legais. A cumplicidade, no entanto, acaba colocada à prova quando Paige se apaixona por um jovem e belo médico (Adam Brody).
Outro filme despretencioso, moderninho. 


Sinopse:
Quando uma jovem mulher irresponsável e imatura (Keira Knightley) recebe um pedido de casamento de seu namorado, ela entra em crise. A primeira ideia é fingir que precisa fazer um retiro em busca de auto conhecimento profissional, mas de fato ela se esconde na casa da sua nova melhor amiga, a adolescente Annika (Chloe Grace Moretz).
A capa desse filme não convence muito mas vale a pena, eu adorei! E a Keira Knightley está mais uma vez linda.


Sinopse:
Wallace (Daniel Radcliffe) está sozinho há um ano, após terminar com a namorada depois de vê-la com outro homem. Encerrado o período de luto pelo fim do relacionamento, ele acredita que é hora de seguir em frente. Um dia, em uma festa organizada pelo melhor amigo Allan (Adam Driver), ele conhece Chantry (Zoe Kazan), a prima dele. Não demora muito para que o papo entre eles flua naturalmente e Wallace se ofereça para levá-la até em casa. Mas, ao chegar, ele descobre que Chantry tem um namorado, Ben (Rafe Spall), o que o desanima. Dias depois, Wallace e Chantry se reencontram por acaso e, após uma rápida conversa, decidem ser apenas amigos. A partir de então, eles andam juntos por tudo quanto é canto, apesar de Wallace nutrir um sentimento romântico por ela.
O que eu posso dizer sobre esse, hipsterzinho, fofo, leve... 


Gostou?
Comenta aqui...
Bom final de semana!

* * *

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

O lar em metros quadrados.

Foi uma longa caminhada até eu chegar aqui, casa nova em cidade nova praticamente.
Dessa vez vim pra ficar por um longo e bom tempo.
Depois de me mudar por 3 vezes no ano passado (afe!) larguei meu emprego e decidi que ou eu volto pra casa da minha mãe e consigo me reestruturar financeiramente ou seria de vez consumida por São Paulo.

Ter qualidade de vida esta sendo minha prioridade no momento.

E vamos combinar vai, sair bonita na foto e não ter dinheiro pra comer está fora de moda. 

Mas enfim, o assunto aqui é outro, vamos deixar as lamentações para trás e focar no que realmente importa.... entretanto, todavia, contudo (rs) me peguei tendo que encaixotar rapidamente toda uma vida pra caber num quarto de 7,56m² (Isso mesmo produção????)
Daí que dei uma reciclada em tudo que eu tinha acumulado e joguei fora, vendi, doei, passei pra frente, inclusive a minha enorme cama maravilhosa que acabou ficando com meu namorado (menos mal).

Esse susto dos 7,56m² foi ótimo pra aprender a desapegar e realmente viver somente com o que eu vou usar e utilizar. 
Eu sempre falo, não usa há mais de um ano, doe, venda, passe pra frente! 

Por fim, sem cama, só com as roupas na mão, vim pros meus 7,56m². 
E foi aí que numa pesquisa sobre camas na internet que conheci o Meu Móvel de Madeira com seus móveis lindos feitos, a maioria, para otimizar espaços pequenos.
Escolhi uma pensando na organização dos meus livros. Depois disso me peguei tendo que ser uma pessoa organizada num espaço pequeno, não tenho um armário ou guarda-roupas, então improvisei numa estante e reaproveitei minha arara caquética para arrumar minhas coisas.

E o resultado foi esse...







E vamo que vamo que a vida não para né? Vai que daqui um tempo (eu espero que não tão próximo) eu me mudo pra um quarto grandão e compro a cama grandona mais linda do mundo de novo né? Nunca se sabe.... 

*
*
*





quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Cor, cor, Kor !


Kor, um atelier de bolsas em São Paulo, artesanal, exclusiva, única, atemporal, colorida e 100% couro.
Liderada por duas Marinas ( Cintra e Mazon ) há 3 anos elas vem criando e produzindo sonhos dos mais lúdicos e surreais, transformados em bolsas e carteiras das formas mais inusitadas e coloridas possíveis.
Elas criam desejos, utilizando materiais como a madeira e o couro de tilápia e de uma forma lúdica, criam peças lindas e sonhos dentro de sonhos.

E isso aqui não é Mercha não.

A minha relação com a marca começou em 2009 quando eu tinha a minha marca de roupas e acessórios para bebês e criança, o Mamã, e num bazar organizado por uma amiga, ela me apresentou a Marina Cintra, que na época comandava a marca de bolsas da mãe, antes da Kor existir, elas já eram maravilhosas naquele tempo. Alguns anos depois nasceu a Kor mais especial ainda.

Fizemos juntas alguns bazares, nos encontramos algumas vezes e ficamos amigas desde então...

2009 

No final do ano passado acabamos nos reencontrando inusitadamente e ela me convidou para participar do editorial da nova coleção Estado Bruto, topei na hora mesmo sem saber do que se tratava.
E o resultado foi esse!









É tão legal quando a há amor e parcerias entre amigos, quando a gente admira o outro e quer que tudo dê certo, da ânimo, vontade de estar perto, vontade de fazer parte, feliz com cada resultado e conquista. E é assim que eu me senti e me sinto em relação a vontade e força das duas Marinas de ver a marca crescer e expandir por aí por ela mesma.Todo mundo que esta por perto delas quer participar de tudo isso, tanto que agora estou representando a marca em Jundiaí e futuramente nas regiões próximas, expandindo mais ainda essa essência na qual eu me identifico por inteira. Acho lindo ver elas incentivarem a produção e mão de obra brasileira, dar oportunidades ao mercado interno crescer e criar forças com peças tão fortes e de qualidade igualando-se as marcas internacionais.

Estado Bruto, o estado natural das coisas, que nos faz sentir mais vivos.
Há sempre um elemento que não conseguimos dominar: o clima, a força da natureza, o passar to tempo.
Há sempre algo que nos faz lembrar que existe vida além das máquinas.
Por mais que haja, a terra ainda respira por baixo. A chuva corre por cima.
Ainda pulsamos ao ver uma madeira em chamas produzindo calor, ainda tememos o clarão no céu à espera da tempestade. 
Por mais tempo que passemos em frente às máquinas o que nos emociona ainda está em Estado Bruto.

Essa é a Kor.

Mais sobre as maravilhosidades, a marca e as coleções clique AQUI.
Facebook AQUI .

***